• malu

vestido


- por ligia savio -



De organdi e de organza

já te vestiram.

De tafetás de outrora

trancelins e fitas

sedas e brocados

também te cobriram.

De musselinas claras

das cambraias mais frescas

te cercaram a vida.

Agora és tu quem perfura

o pano, a tela, o tecido

e ainda tentas colocar

alguma renda

sianinhas

sutaches

e linhas da cor do tempo

na veste que se faz no dia a dia.

Completaste o vestido?

Deste os remates precisos?

Costuraste o possível.

E na túnica de estopa - escolha tua -

estás iluminada à luz da lua.



poema ©Ligia Savio

imagem ©Malu Baumgarten

57 visualizações1 comentário

Posts recentes

Ver tudo

prometeu

bebê

viúvas